As Relíquias da Morte ︎◆ Filmes e peças ︎◆ Parte 1

Roteiro HP7.1 Parte 2: Tradução das cenas 14 ~ 26

Em nosso segundo periódico da tradução do roteiro original de Harry Potter e as Relíquias da Morte: Parte 1, trazemos a vocês as cenas 14 a 26 em português. Assim como na edição anterior, pudemos constatar algumas diferenças entre o roteiro e a edição final da película que foi lançada nos cinemas.

Para começar, o roteiro nos mostra a despedida completa do Harry e os Dursley – ao invés dos mínimos segundo vistos no filme. Há até mesmo uma pequena alteração no diálogo entre Harry e Petúnia criada para implantar a dúvida no público.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Depois vemos a cena da poção polissuco sendo dada aos membros da Ordem, e ela de fato quase não apresenta alterações, exceto por um pássaro que sai da barba do Hagrid logo que ele chega à casa.

Os Sete Potter decolam e a sequência a seguir também é praticamente igual à presente no cinema, exceto por um pequeno detalhe; no túnel, não há nenhum descrição sobre Harry correr em cima de um ônibus.

As cenas de hoje terminam com a moto e o sidecar saindo do túnel e subindo em direção ao céu, durante a fuga para escapar dos Comensais da Morte.

Vocês podem conferir a tradução dessas cenas na extensão – onde se encontram links das traduções anteriores -, ou fazer o seu download em pdf clicando aqui!

HARRY POTTER E AS RELÍQUIAS DA MORTE: PARTE 1
Roteiro original ~ Cenas 14 à 26
Warner Brothers
Tradução: Priscila Gonçalves
Revisão: Virág Venekey

14. INT. CASA DOS DURSLEY – QUARTO DO HARRY – MESMO HORÁRIO – ANOITECER

Um OLHO brilha em um CACO de VIDRO ESPELHADO. O olho de HARRY POTTER. Ele arremessa o espelho dentro de uma MOCHILA RUGOSA, depois acrescenta um MEDALHÃO, um RECORTE do Profeta Diário intitulado “Em Memória de Dumbledore” (acima do qual está uma FOTOGRAFIA de seu autor, ELPHIAS DOGE com DUMBLEDORE), e um CADERNO cheio de rabiscos sobre Horcruxes e, em grandes letras maiúsculas, as iniciais “R.A.B”. Ele dá uma sacudida na mochila, então dá uma olhada ao redor para ver se esqueceu de algo. O quarto aparenta ter sido revirado e remexido. Gavetas da cômoda jogadas, chão coberto de detritos.

TIO VÁLTER (FORA DE QUADRO)
Vamos, Duda. Rápido!

Harry vai até a janela e espreita a rua abaixo. TIO VÁLTER faz rolar uma grande MALA para dentro de seu carro, seguido por DUDA, que reboca uma MALA sua igualmente grande. Harry fala com EDWIGES.

HARRY
Hora da emocionante despedida.

15. INT. ESCADA/HALL DE ENTRADA – ANOITECER (MOMENTOS DEPOIS)

Harry desce a escada. A casa parece árida, solitária. Tia Petúnia se encontra na entrada da cozinha, olhando ao redor. Vendo-a, Harry dá uma parada.

TIA PETÚNIA
Morei nessa casa por vinte anos.
E agora — em uma única noite –-
tenho que sair.

HARRY
Eles vão te torturar. Até mesmo o Duda.
Se eles pensarem que vocês sabem aonde
estou indo, nada vai detê–

TIA PETÚNIA
Você acha que eu não sei disso? Você
acha que eu não sei do que eles
são capazes?

Seus olhos penetram os de Harry.

TIA PETÚNIA
Você não foi o único a perder uma mãe
aquela noite em Godric’s Hollow, sabe.
Eu perdi uma irmã.

Harry a estuda, surpreendido.

HARRY
Você tem alguma? Magia?

TIA PETÚNICA
Que coisa mais cruel de se perguntar.

16. EXT. RUA DOS ALFENEIROS – ANOITECER – (MOMENTOS DEPOIS)

Tio Valter testa as correias amarrando as malas a um pequeno TRAILER engatado na traseira do carro dos Dursley, depois dá uma olhada desajeitada em Harry.

TIO VÁLTER
Bem, isso é um adeus então, garoto.

Harry, em pé na porta da frente, dá um aceno com a cabeça, fita Petúnia, que está sentada no assento da frente, um fantasma por trás do vidro.

DUDA
Não entendo. Ele não vem conosco?

TIO VÁLTER
Quem?

DUDA
Harry.

TIO VÁLTER
De jeito nenhum.

DUDA
Por quê?

TIO VÁLTER
Bem, porque — ele não quer,
quer, garoto?

HARRY
De jeito nenhum. Além do mais,
eu sou apenas uma perda de espaço.
Não é, Valter?

Tio Valter encara Harry com raiva.

TIO VÁLTER
Vamos, Duda. Estamos de saída.

Tio Valter vai em direção ao carro. Duda hesita, então atravessa o gramado até Harry e estende sua mão.

DUDA
Eu não acho que você é uma
perda de espaço.

HARRY
Bem… obrigado.

Harry aperta a mão de Duda, então assiste seu primo virar e avançar de volta sobre o gramado.

HARRY
(sob um suspiro)
Até mais, Dudão.

17. INT. CASA DOS DURSLEY – ANDAR INFERIOR – NOITE (MOMENTOS DEPOIS)

Harry parado, mochila sobre seu ombro, a gaiola de Edwiges na mão. Em algum lugar, próximo, um RELÓGIO FAZ TIQUE-TAQUE. No mais, está tudo imóvel. Completamente quieto. Ele dá uma olhada pela casa, cheia de sombras, como fantasmas. Seus olhos queimam de amargura.

HARRY
Grande alívio.

Seus olhos se deslocam. Os últimos raios de sol se deitam, como uma mancha, sobre a PORTA DE UM PEQUENO ARMÁRIO sob as escadas. Ele deixa a mochila escorregar do seu ombro. Coloca a gaiola no chão.

18. INT. ARMÁRIO DEBAIXO DAS ESCADAS – MESMO HORÁRIO – NOITE

A porta se abre. O rosto de Harry aparece. Partículas de poeira dançam ante seus olhos. Ele espia dentre as sombras, dentre seu passado. Uma ARANHA MORTA pendura-se em uma teia antiga. Um REGIMENTO de SOLDADOS DE BRINQUEDO — quebrados e cobertos de poeira — alinham-se sobre uma prateleira. Conforme o SOL se retira da sala, um tremor passa pelo rosto de Harry e então…

Um RUGIDO ENORME mata o silêncio, o rugido de uma MOTOCICLETA. Harry se endireita — meio acreditando que seu sonho tornou-se realidade — e BATE sua cabeça na moldura baixa da porta.

19. INT. HALL DE ENTRADA/COZINHA – MESMO HORÁRIO – NOITE

Harry atravessa o corredor escuro conforme FORMAS OPACAS passam pelas janelas. Ele tropeça ao passar pela gaiola de Edwiges, fazendo-a BALANÇAR e atira-se para abrir a porta da frente.

20. EXT. PORTA DA FRENTE – AÇÃO CONTÍNUA – NOITE

HERMIONE lança seus braços ao redor de Harry. RONY dá uma palmada em suas costas. Outros emergem das sombras: FRED, JORGE, GUI, FLEUR, TONKS, LUPIN, ARTHUR WEASLEY, OLHO-TONTO MOODY, QUIM SHACKLEBOLT e um homem pequeno, sujo e deprimido, MUNDUNGO FLETCHER. Por último, HAGRID desmonta de uma MOTOCICLETA, tira um par de óculos de vôo de seu rosto e arranca um PEQUENO PÁSSARO CANTANTE de sua barba.

HAGRID
Tudo be’, ‘arry? Você parece bem.

OLHO-TONTO
É, ele está muito bonito. O que
acha de entrarmos antes que
alguém o mate.

21. INT. SALA DE ESTAR/COZINHA – NOITE

Todos seguem da entrada direto para a sala de estar.

HARRY
Eu achei que você estava cuidando
do Primeiro Ministro, Quim.

SHACKLEBOLT
Você é mais importante.

Harry dá um sorriso, então um homem alto e ruivo (GUI WEASLEY) para à sua frente, mão estendida. Seu rosto com uma CICATRIZ horrível.

GUI
Olá, Harry. Gui Weasley.

FRED
Ele não era assim tão bonito.

JORGE
Muito feio.

GUI
(sorrindo; para Harry)
É verdade. Devo isso a um
lobisomem chamado Greyback.
Espero devolver o favor um dia.

FLEUR
(com um beijo no rosto)
Você continua lindo para mim, Gui.

LUPIN
Não esqueça, Fleur, depois que vocês
casarem: Gui agora prefere o bife mal passado.

TONKS
Meu marido, o piadista. Por falar nisso,
espere até ouvir as novidades!
Remo e eu estamos —

OLHO-TONTO
Tudo bem, tudo bem! Vocês todos
terão tempo depois para pôr as novidades
em dia! Agora temos que dar o fora
daqui e logo!

Moody derruba alguns SACOS a seus pés. Dirige-se a Harry.

OLHO-TONTO
Potter, você é menor de idade, o que
significa que ainda tem o Rastreador.

HARRY
O Rastreador?

OLHO-TONTO
Você espirra e o Ministério saberá
quem limpou seu nariz. A questão é,
teremos que usar aqueles transportes
que o Rastreador não pode detectar:
vassouras, testrálios e similares.
Iremos em pares. Assim, se alguém
estiver lá fora esperando por nós –-
e eu aposto que estarão — não vai
saber qual é o verdadeiro Harry Potter.

HARRY
O verdadeiro…?

Moody retira um FRASCO da sua capa.

OLHO-TONTO
Acredito que você está familiarizado com
essa mistura.

HARRY
Não! De jeito nenhum!

HERMIONE
(um suspiro)
Eu disse que ele ia adorar.

HARRY
Se acha que eu vou deixar as
pessoas arriscarem suas vidas por mim —

RONY
Nunca fizemos isso, né?

HARRY
Isto é diferente. Vocês beberem isso.
Se passarem por mim — não.

FRED
Bem, nenhum de nós gostou muito
disso, amigo.

JORGE
É, imagine se algo der errado e ficarmos
ocludos, magricelas e idiotas para sempre.

OLHO-TONTO
Todos aqui são maiores de idade, Potter,
e todos concordaram em correr o risco.

MUNDUNGO
Tecnicamente, eu fui forçado.
(virando-se para Harry e
estendendo sua mão)
Mundungo Fletcher, Sr. Potter.
Sempre fui um grande admirador seu.

OLHO-TONTO
Quieto, Mundungo! Certo,
Granger, como planejado.

Hermione agarra um tufo de cabelo de Harry — puxa.

HARRY
Que droga, Hermione!

OLHO-TONTO
Coloque aqui, por favor.

Moody estica o frasco, agora aberto. A poção começa a cuspir uma fumaça para fora. Ele o entrega a Jorge.

OLHO-TONTO
Para aqueles que nunca beberam a
Poção Polissuco, só uma alerta.
Tem gosto de xixi de duende.

FRED
Você tem bastante experiência com
xixi de duende, não é, Olho-Tonto?

O olho de Moody gira ameaçadoramente na direção de Fred.

FRED
Só estou tentando aliviar a tensão.

Fred pega o frasco de Jorge, seguido por Rony, Hermione, Fleur e com um pouco menos de alegria, Mundungo. Ele franze as sobrancelhas enquanto a poção goteja em seus lábios e segundos depois, suas feições — como as dos outros — começam a borbulhar como cera quente. Assim que a transformação se completa, sete Harry Potters se encontram na minúscula cozinha.

FRED/JORGE
Uau — estamos idênticos!

OLHO-TONTO
Ainda não estão.

Moody puxa os laços dos SACOS e tira SETE ROUPAS IDÊNTICAS.

JORGE
Você não tem nada mais esportivo?

FRED
É, não gosto muito dessas cores.

OLHO-TONTO
Imagine isso: Você não é você, então
cala a boca e se vista.
(para Harry)
Você vai ter que se trocar também, Potter.

Harry, um pouco consciente, começa a se despir. Enquanto isso, os outros parecem despreocupados de estarem exibindo o corpo de Harry.

FLEUR
Gui, não olhe — estou ‘orrorosa.

RONY
(sorrindo)
Eu sabia que a Gina estava mentindo
sobre aquela tatuagem.

HERMIONE
(se sacudindo um pouco)
Harry, a sua visão é realmente ruim.

OLHO-TONTO
Caramba. Quase me esqueci.

Olho-Tonto remexe seu bolso e tira um punhado de ÓCULOS.

OLHO-TONTO
É isso aí. Vamos formar os pares.
Cada Potter terá um protetor.
Já você, Harry…

TODOS
Sim?

OLHO-TONTO
O verdadeiro Harry! Onde diabos
você está, hein?

HARRY
Aqui.

O olho de Moody gira na direção do verdadeiro Harry.

OLHO-TONTO
Você vai com o Hagrid.

HAGRID
Te trouxe para cá há dezesseis anos
quando você era pouco maior que um
Tronquilho. Parece justo que seja
eu quem vai te levar embora.

OLHO-TONTO
É, estou até emocionado.
Vamos logo.

Conforme eles vão saindo, Harry pega sua mochila e fita Edwiges em sua gaiola. Ele abre com um estalo a portinha, e ela bate as asas, voa até a entrada e levanta vôo porta afora. Harry dá mais uma olhada ao redor da entrada, para o armário debaixo das escadas, então sai. Ele SEGURA a gaiola vazia de Edwiges.

22. EXT. RUA DOS ALFENEIROS – NOITE

Os outros seis Harrys sentam-se em cima de testrálios e vassouras. Hagrid monta a motocicleta, coloca os óculos.

Quando o verdadeiro Harry aparece, Hagrid dá uma palmada no carrinho lateral e Harry se senta.

OLHO-TONTO
Boa sorte, pessoal. Quando eu contar
Até três. Um… dois —

Hagrid dá vida à motocicleta, dá uma guinada para frente. Edwiges levanta vôo e bate as asas em direção à lua brilhante.

Conforme Hagrid avança em direção ao céu, Harry se curva, assistindo um Harry Potter atrás do outro passar por ele, vendo a Rua dos Alfeneiros ficando cada vez menor, seus olhos ardendo no vento, brevemente perdido no momento, quando…

23. EXT. CÉU – MESMO HORÁRIO – NOITE

… uma AGITAÇÃO ENCHE O AR. Harry se vira, olha para cima. COMENSAIS DA MORTE saem de dentro das nuvens, cercam os outros. LAMPEJOS de LUZ VERDE cortam a escuridão. Faíscas explodem no chassi da moto e Hagrid dá um UIVO de fúria.

HARRY
Hagrid! Temos que ajudar os outros!

HAGRID
Não posso fazer isso, ‘arry. Meu trabalho
é te levar para onde estamos indo, são e
salvo — ordens de Olho-Tonto!

Antes de Harry poder responder, QUATRO COMENSAIS DA MORTE saem como um jato da escuridão, as capas estalando ao vento. Como se fossem um, levantam suas varinhas. Hagrid mete sua mão em um BOTÃO ROXO. Com uma EXPLOSÃO ENSURDECEDORA, a motocicleta estremece, e CHAMAS são CUSPIDAS do escapamento. Os Comensais da Morte GRITAM, capas em chamas, e com o vento, caem em queda-livre em direção a terra.

HARRY
O que foi aquilo?

HAGRID
Fogo de dragão!

Mais COMENSAIS DA MORTE RASGAM o céu, perseguindo. Hagrid MERGULHA, caindo em direção ao chão, tentando desesperadamente despistá-los. Harry vê a terra se aproximando deles, balançando, quando a moto…

24. EXT. AUTO-ESTRADA – AÇÃO CONTÍNUA – NOITE

… BATE com força no asfalto e escorrega violentamente no que Hagrid…

25. INT. TÚNEL – AÇÃO CONTÍNUA – NOITE

… avança para dentro de um túnel, os Comensais da Morte ainda em perseguição. Hagrid inclina-se de um lado para outro, evitando os lampejos de luz das varinhas dos Comensais da Morte.

Faíscas deslizam em direção ao túnel e se espalham enquanto o carrinho lateral sobe no ar repetidamente, e então bate com força na rodovia. Harry olha para trás, vê os Comensais da Morte se aproximando quando LUZES ENCHEM O TÚNEL e Hagrid dá um RUGIDO. Virando-se, Harry vê um CAMINHÃO enorme vindo em direção a eles. Assim que os FARÓIS AUMENTAM, Hagrid dirige a motocicleta diretamente a ele — então passa — e sobe na lateral arredondada do túnel. A motocicleta se curva e Harry é balançado rapidamente, vendo — de cabeça para baixo — dois Comensais da Morte voarem em direção ao caminhão — antes da motocicleta voltar à posição normal, e sair…

26. EXT. CÉU – AÇÃO CONTÍNUA – NOITE

… do túnel e elevar-se de volta para o céu estrelado. Hagrid e Harry voam mais alto, o ar CREPITANTE com ELETRICIDADE quando…