As Relíquias da Morte ︎◆ Filmes e peças ︎◆ Parte 1

Roteiro HP7.1 Parte 10: Tradução das cenas 118 ~ 130

Trazemos hoje a nossa décima parte do periódico que visa publicar todos os sábados 13 cenas traduzidas para o português do roteiro oficial e original do filme Harry Potter e as Relíquias da Morte: Parte 1.

As cenas de hoje começam com o Harry se dando conta de como capturou o pomo de ouro pela primeira vez; então o leva aos lábios e aparece na bolinha a frase “Abro no fecho”. Ele mostra a descoberta a Hermione, que também tem uma novidade; a nascida trouxa mostra o símbolo das Relíquias da Morte ao Harry. Após alguma conversa sobre o seu significado, eles decidem ir para Godric’s Hollow – Hermione na esperança de encontrar a espada de Gryffindor, e Harry pela história do vilarejo.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O casal aparata e segue para o cemitério, sequência idêntica à que foi vista nas telonas. Porém, próximos às lápides, além da de Ignoto, Hermione também encontra a da família Dumbledore, que contém os túmulos de Kendra e Ariana – cena infelizmente cortada da edição final. Harry enfim acha o túmulo dos seus pais e os dois ficam um tempo em frente à lápide.

Sua atenção só é dispersa pela aparição de uma senhora decrépita perto do portão, a Batilda Bagshot. Os dois a seguem e, no caminho, encontram a antiga casa dos Potters, parando para observá-la. Eles enfim seguem o caminho e entram na casa de Bagshot, onde Mione encontra um retrato da Ariana – também ausente do filme – e Harry sobe para o segundo andar para conversar com Batilda a sós.

As cenas de hoje terminam com Harry acendendo a luz de sua varinha no quarto e se dando conta que Batilda está muito perto dele.

Vocês podem conferir a tradução dessas cenas na extensão – onde se encontram links das traduções anteriores -, ou fazer o seu download em pdf clicando aqui!

HARRY POTTER E AS RELÍQUIAS DA MORTE: PARTE 1
Roteiro original ~ Cenas 105 à 117
Warner Brothers
Tradução: Antônio Kleber Gomes
Revisão: Gabriel Amaral

Tradução das cenas 1 ~ 13
Tradução das cenas 14 ~ 26
Tradução das cenas 27 ~ 39
Tradução das cenas 40 ~ 52
Tradução das cenas 53 ~ 65
Tradução das cenas 66 ~ 78
Tradução das cenas 79 ~ 91
Tradução das cenas 92 ~ 104
Tradução das cenas 105 ~ 117

118. INT. BARRACA – MESMO TEMPO – DIA

Harry está deitado no beliche superior, acima da cama vazia de Rony, vendo seu rosto refletido na superfície do Pomo ali presente. Assim que ele o toma em suas mãos, as asas começam a bater lentamente para cima e para baixo. Ele assiste por um longo período… quando tem uma súbita idéia.

Envolvendo a esfera em seus dedos, ele a leva brevemente até seus lábios, e depois vira-o na palma da mão.

As asas cansadas do Pomo ainda se movem. Então, como se escritas por uma mão invisível, PALAVRAS aparecem na superfície dourada e polida:

“Abro no Fecho”

HARRY
Hermione.

119. EXT. ENCOSTA DA COLINA – AÇÃO CONTÍNUA – DIA

Harry desliza pela orla, entrega-a o Pomo.

HARRY
Você estava certa. É como você disse.
Pomos têm memória corporal. Mas não capturei
meu primeiro Pomo com a mão, eu quase o
engoli.

Hermione vê as PALAVRAS SUMIREM na esfera.

HERMIONE
‘Abro no Fecho?’

HARRY
O que você supõe que isso signifique?

HERMIONE
Não sei. Mas olha, eu também
achei uma coisa.

Ela vira Os Contos de Beedle o Bardo para a luz vacilante, aponta para o topo da página de rosto, para um PEQUENO DESENHO de um OLHO TRIÂNGULAR.

HERMIONE
Eu achava que era o desenho de um olho,
mas agora não acho que seja. Não é uma
runa e tampouco está no Silabário de
Spellman
. E foi feito à tinta — alguém
o desenhou — não é parte do livro.

HARRY
O pai da Luna estava usando isso, no
dia em que o irmão de Rony…
(se contém)
no casamento de Gui e Fleur.

HERMIONE
O que você quer dizer com — usando?

HARRY
No pescoço. Como um amuleto. Eu não
pensei que fosse importante naquele momento.
Você conhece Luna – ela sempre carrega
algumas maluquices consigo. Achei que
fosse apenas tendência de família.

HERMIONE
Porque alguém desenharia isso num
livro infantil?

Enquanto Hermione balança a cabeça, pensando, Harry fixa o olhar nela.

HARRY
Hermione, estive pensando. Eu -– quero
ir a Godric’s Hollow. É onde nasci, é
onde meus pais morreram…

HERMIONE
E é exatamente onde Você-Sabe-Quem espera
que você vá. Porque significa algo para você.

HARRY
Mas significa algo para ele também,
Hermione. Você-Sabe-Quem quase morreu lá.
Não seria o tipo de lugar onde ele
esconderia uma Horcrux?

Hermione olha para ele. Apesar do que ela mesma disse, ela sabe que ele está certo.

HERMIONE
É perigoso, Harry. Mas devo admitir,
recentemente até mesmo eu tenho pensado que
precisaremos ir. Acho que é possível que
haja outra coisa escondida lá.
(sem olhar para Harry)
A espada. Se Dumbledore não quisesse
que ela caísse nas mãos do Ministério,
mas que você a encontrasse, qual melhor
lugar para escondê-la do que o local de
nascimento do próprio fundador da Grifinória?

HARRY
Godric’s Hollow é o local de nascimento
de Godric Gryffindor –- quer dizer,
claro que é. É óbvio, não é?

HERMIONE
(olhando-o
intencionalmente)
Harry, você alguma vez ao menos
abriu História da Magia?

HARRY
Arremessei contra Neville uma vez em que
ele estava roncando. Deve ter se aberto.

Ela sorri, então se levanta, recolhendo seus livros e o cobertor.

HARRY
Hermione…

As palavras falham. Hermione se aproxima, afaga seus cabelos ligeiramente e se dirige para a cabana.

HERMIONE
Nunca me deixe cortar seu
cabelo de novo.

120. EXT. GODRIC‘S HOLLOW – NOITE

As luzes douradas da rua cintilam ao longo de uma via estreita que conduz ao centro do povoado. Decorações de Natal brilham nas janelas dos pequenos chalés, os telhados cobertos de neve. Hermione e Harry aparatam À VISTA, vestindo CASACOS PESADOS e chapéus, os cachecóis enrolados de forma a cobrir suas bocas.

HERMIONE
Ainda acho que devíamos ter usado
a Poção Polissuco.

HARRY
Não. Este é o lugar onde eu nasci.
Não voltaria como outra pessoa.

Ele estende o braço e Hermione o segura. Eles se movem.

121. EXT. CENTRO DO POVOADO – NOITE (MOMENTOS DEPOIS)

Harry e Hermione caminham, braços dados. A PORTA de um PUB se abre brevemente e RISADAS e MÚSICA são ouvidas.

HERMIONE
Harry, acho que é véspera de Natal!
Ouça…

A voz dela é anelante. Enquanto escutam, VOZES ecoam da igreja à frente. Harry avista o CEMITÉRIO mais além.

HARRY
Acha que eles estariam aí?
Mamãe e papai?

HERMIONE
Sim. Acho que estariam.

122. EXT. IGREJA – MAIS PRÓXIMOS – NOITE (MOMENTOS DEPOIS)

O CANTO é ALTO E RICO neste momento, enquanto Harry e Hermione abrem caminho na neve até o cemitério. Harry examina o VITRAL COLORIDO da igreja cintilando sobre ele.

123. EXT. CEMITÉRIO – NOITE (MOMENTOS DEPOIS)

Harry empurra um portão, então solta a mão de Hermione, fileira após fileira de lápides cobertas de neve se estendem enquanto ele continua. Enquanto ele vai mais à frente, Hermione o examina, então continua.

NOVO ÂNGULO – CEMITÉRIO

Hermione para em frente a uma lápide grande pintalgada de líquen.

HERMIONE
Harry.

HARRY
É essa a — ?

HERMIONE
Não. Mas olha.

Harry se aproxima e olha: KENDRA DUMBLEDORE E SUA FILHA ARIANA. Uma citação gravada no granito: “Onde estiver o vosso tesouro, ali estará também o vosso coração”

HERMIONE
Você sabia que ele tinha uma irmã?

Harry encara a lápide, seu rosto uma máscara.

HARRY
Não.

Harry dá as costas e vai embora.

NOVO ÂNGULO – LÁPIDES

Hermione caminha por entre as lápides, observando os nomes, então pára em frente a um túmulo extremamente velho. Ela se agacha.

HERMIONE
Lumos.

Hermione mira a luz da varinha na superfície da pedra, então pára. Embora profundamente desgastado pelo tempo, o símbolo é evidente: o OLHO TRIANGULAR. Hermione move a luz até o nome: IGNOTO PEVERELL.

HERMIONE
Ignoto… Ei, Har —

Ela pára. Harry está parado a várias fileiras de distância. Absolutamente imóvel.

NOVO ÂNGULO – HARRY

Enquanto ele encara as lápides do pais:

TIAGO POTTER
Nascido em 27 de março de 1960
Morto em 31 de outubro de 1981
LÍLIAN POTTER
Nascida em 30 de janeiro de 1960
Morta em 31 de outubro de 1981

“O último inimigo a ser destruído é a morte.”

Hermione se aproxima, olha para Harry. Percebe que lágrimas correm por suas bochechas. Hermione ergue sua varinha, traça no ar um círculo e uma COROA DE HELÉBOROS brota na neve. Harry assente ainda encarando.

HARRY
Feliz Natal, Hermione.

HERMIONE
Feliz Natal, Harry.

Hermione envolve seu braço na cintura dele e ele coloca o braço no ombro dela. Eles ficam em silêncio. Então:

HERMIONE
Harry…

HARRY
Sim.

HERMIONE
Alguém está nos observando.
Perto do portão.

Harry assente, cuidadosamente para não olhar tão cedo, então olha de relance. UMA FIGURA ENCURVADA, mal distinguível pela neve, está parada às sombras da igreja. Ela –- é visivelmente uma mulher, uma velha -– não se move inicialmente –- como se esperasse que Harry a visse, então dá as costas e se afasta.

HARRY
Vamos.

124. EXT. CENTRO DO POVOADO – NOITE (MOMENTOS DEPOIS)

Toda a luz se desvaneceu do céu. A figura encurvada manca adiante, passa pelo pub, onde sombras tremeluzem nas janelas e vozes abafadas podem ser ouvidas. Harry e Hermione a seguem.

125. EXT. BECO ESTREITO – NOITE (MOMENTOS DEPOIS)

Hermione fita a mulher à frente, então olha à sua volta, sentindo-se encurralada.

HERMIONE
Não acho que essa seja uma boa idéia.

HARRY
Parecemos trouxas comuns.

HERMIONE
Trouxas que acabaram de conjurar
flores no túmulo de seus pais.

Só então, mais adiante, a mulher encurvada levanta a mão e Harry e Hermione param. Segundos depois, um grupo de SEQUESTRADORES passa pela travessa. Quando desaparecem a mulher continua.

HARRY
Relaxe. Está tudo bem. Eu sei disso.

126. EXT. VIELA – NOITE (MOMENTOS DEPOIS)

A mulher continua a mancar. A viela é ladeada por chalés modestos e jardins pequenos e arrumados. Hermione apenas os relanceia, os olhos nervosamente fixos na mulher à sua frente, antes de perceber que está andando sozinha.

Ela se vira, vê Harry parado a vários metros de distância, encarando um chalé escuro, o jardim coberto por mato, o teto totalmente coberto por hera e neve. Hermione retorna, olha. SUSPIRA.

HERMIONE
Ah meu Deus. Harry…

HARRY
Foi aqui que eles morreram, Hermione.
Foi aqui que ele os assassinou.

Hermione examina as feições amarguradas de Harry, então a casa, cuidadosa para não estragar o momento com palavras. Distraído, Harry coloca os dedos sobre o medalhão em seu peito. Ele está palpitando — quase imperceptível. Então, sem se virar, enquanto ainda encara a casa, Harry fala:

HARRY
Você é Batilda, não é?

Hermione pisca, confusa, então se vira e dá um pulo. A velha está parada à poucos metros de distância, assistindo-os.

127. INT. CASA DE BATILDA BAGSHOT – NOITE (MOMENTOS DEPOIS)

A porta range aberta e a pequena BATILDA BAGSHOT entra mancando, seguida primeiro por Harry, então Hermione, que torce o nariz. Quando Batilda sai da sala, Hermione estuda o local.

HERMIONE
Harry, não estou segura disso.

HARRY
Hermione, ela conheceu Dumbledore.
Ela pode ter a espada. Além disso, ela mal está
na altura do joelho de um elfo-doméstico.
Acho que podemos dominá-la se a coisa ficar feia.

HERMIONE
Há algo estranho nela. E que cheiro é aquele?

HARRY
Ela está caduca, lembra?

Batilda volta segurando uma caixa de fósforos. Ela risca um, tenta acender uma vela, mas seus movimentos são desajeitados.

HARRY
Aqui. Deixe-me fazer isso.

HERMIONE
Você tem uma casa adorável,
Sra. Bagshot.

Hermione vê uma FOTOGRAFIA de uma GAROTA JOVEM CURIOSAMENTE ATRAENTE (ARIANA), então passa o dedo pela mesa. Há uma grossa camada de poeira. Ela franze as sobrancelhas, levanta os olhos, e encontra Batilda assistindo-a.

HARRY
Sra. Bagshot? Quem é esse homem?

Harry se depara com uma cômoda, segurando o fósforo sobre um conjunto de FOTOGRAFIAS. Cobertas por POEIRA, as figuras nas molduras tremeluzem como fantasmas atrás de véus. Harry escolhe uma, limpa a poeira com a mão. Nela, um rapaz de aspecto jovial presta atenção, sua expressão animada encobertando um intenso olhar.

HARRY
O nome dele. Pode me dizer o
nome dele?

Batilda encara a fotografia solenemente, então observa Harry. Seus olhos tem uma ESPESSA camada de CATARATAS. Harry devolve o olhar, aborrecido, então Hermione se aproxima, olha a fotografia.

HARRY
É ele, Hermione. O rapaz que
vi na loja de varinhas de Gregorovitch.
O ladrão. Sra. Bagshot, quem é ele?

Ela olha para ele e sacode a cabeça em direção à escada.

HARRY
Ela quer que subamos.

HERMIONE
Certo…

Assim que Hermione se move, Batilda balança a cabeça, aponta para Harry.

HARRY
Ela quer que eu vá. Sozinho.

HERMIONE
Por que?

HARRY
Está tudo bem. Fique aqui.

HERMIONE
Harry…

Harry levanta a mão, silenciando-a, então segue Batilda. Antes de desaparecer, ele olha para trás e dá uma piscadela, mas Hermione não parece tranquila.

128. INT. ESCADARIA SINUOSA – NOITE (SEGUNDOS DEPOIS)

Harry sobe seguindo Batilda por uma escadaria circular, desconfortavelmente estreita e pontuada por livros.

129. INT. CASA DE BAGSHOT – SALA DE ESTAR – FOCANDO UM LIVRO – MESMO TEMPO – NOITE

A Vida e as Mentiras de Alvo Dumbledore. Uma mão alcança o livro e o toma. A mão de Hermione. Um BILHETE está anexado: “Querida Batty. Obrigada por sua ajuda. Você disse tudo… mesmo que não se lembre. Rita.”

130. INT. CASA DE BAGSHOT – QUARTO – MESMO TEMPO – NOITE

Harry entra em um quarto escuro e de teto baixo. Ele torce o nariz por conta do cheiro, então escuta a porta se fechando atrás dele. A sala mergulha na escuridão.

HARRY
Lumos.

Harry começa a examinar o quarto. O rosto de Batilda oscila na escuridão, centímetros de distância, encarando-o.