As Relíquias da Morte ︎◆ Filmes e peças ︎◆ Parte 1

Roteiro HP7.1 Parte 9: Tradução das cenas 105 ~ 117

Trazemos hoje a nossa nona parte do periódico que visa publicar todos os sábados 13 cenas traduzidas para o português do roteiro oficial e original do filme Harry Potter e as Relíquias da Morte: Parte 1.

As cenas de hoje começam com Harry e Hermione decidindo sair de onde estão; logo aparecem várias cenas deles viajando, a primeira caminhando em uma fazenda, quando um leve assobio aparece e vai aumentando lentamente; os três entram num celeiro e observam Comensais rasgando o céu azul acima.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Depois em uma planagem épica, onde Rony aparece carrancudo reclamando da falta de comida e de objetivo. Depois, perto de torres de refrigeração, Rony questiona a Hermione sobre Harry saber o que está fazendo. Em seguida, em um parque com trailers queimados; destruídos por Comensais.

Por fim, vão para uma clareira, e aqui se segue uma cena que foi totalmente cortada do filme; Rony e Harry correm atrás de um coelho, rindo e lançando feitiços para imobilizá-lo, até que alguns quase os atingem e a brincadeira acaba num clima um pouco tenso.

Logo em seguida vemos Mione cortando o cabelo de Harry dentro da barraca e se dando conta da propriedade mágica da espada de Gryffindor. Rony se mostra irritado em ter mais uma coisa para procurar e briga com Harry, indo embora e deixando os amigos sozinhos.

Hermione enlaça uma árvore com o cachecol que estivera usando e, juntamente com Harry, desaparata para uma colina. Lá, eles acampam e ouvem uma música numa rádio trouxa; Harry toma a frente e chama a amiga para dançar, porém a estática do rádio retorna e a dança acaba abruptamente.

As cenas de hoje terminam com Hermione envolta num cobertor do lado de fora da barraca lendo dois livros; Os Contos de Beedle, o Bardo, e o Silabário de Spellman, tentando desvendar o símbolo presente n’O Conto dos Três irmãos.

Vocês podem conferir a tradução dessas cenas na extensão – onde se encontram links das traduções anteriores -, ou fazer o seu download em pdf clicando aqui!

HARRY POTTER E AS RELÍQUIAS DA MORTE: PARTE 1
Roteiro original ~ Cenas 105 à 117
Warner Brothers
Tradução: Jenifer Cestari
Revisão: Isadora Moraes

Tradução das cenas 1 ~ 13
Tradução das cenas 14 ~ 26
Tradução das cenas 27 ~ 39
Tradução das cenas 40 ~ 52
Tradução das cenas 53 ~ 65
Tradução das cenas 66 ~ 78
Tradução das cenas 79 ~ 91
Tradução das cenas 92 ~ 104

105. EXT. ÁRVORES – MESMA HORA – NOITE (ALT)

Hermione envolve o corpo com os braços. Treme.

HARRY
Nós temos que partir. Não estamos
seguros aqui.

HERMIONE
Eu já disse que o Rony não está
forte o suficiente para aparatar.

HARRY
Então iremos a pé.

105A. EXT. FAZENDA – DIA

Do céu, nós nos MOVEMOS PARA BAIXO, ENCONTRAMOS o HORIZONTE. TRÊS VULTOS se aproximam na distância. Harry. Hermione. Rony. Nós AGUARDAMOS. Então, sutilmente, tão sutil que mal pode ser ouvido no começo, um LEVE ASSOBIO surge na brisa. Nós nos MOVEMOS PARA CIMA NOVAMENTE. Lentamente, um por um, PONTOS perfuram o céu azul. O ASSOBIO AUMENTA.

Harry pára, ouvindo, então se vira. Hermione, que segue alguns passos atrás dele, pára, questionando-o com o olhar. Nós MUDAMOS O FOCO, por SOBRE o ombro dela, assistimos aos PONTOS se atenuarem, tomando a forma de PLUMAS.

105B. EXT. FAZENDA – CELEIRO – DIA (SEGUNDOS DEPOIS)

O ASSOBIO é de RACHAR OS TÍMPANOS agora, mais como um RUGIDO, enquanto o trio escapa para dentro de um celeiro inclinado e fecha as portas com violência. Enquanto eles espreitam acima os restos esqueléticos do sobrado, seus rostos fustigados pela LUZ, eles vêem uma sucessão de COMENSAIS DA MORTE rasgando o céu azul acima. As toras de madeira em decomposição rangem e MORCEGOS se movem loucamente no sótão acima. Gradualmente, o som diminui. Os morcegos se acalmam.

106. EXT. PAISAGEM EM MOVIMENTO – DIA (ALT)

Uma planagem épica. Três pequenos vultos se movem lentamente abaixo. Um vulto — Rony — segue os outros dois: Harry e Hermione. Nós CORTAMOS para o nível do solo. PARA Rony. Ele olha de relance para os arredores, carrancudo, encarando a paisagem abandonada, então olha para frente, para Harry e Hermione. A visão dos dois andando lado a lado não faz nada para melhorar seu humor.

RONY
Estou com fome.

Harry e Hermione param e se viram. Estudam-no por um momento.

HARRY
O quê?

RONY
Estou com fome.

Hermione olha de relance para Harry, que continua a encarar Rony, analisando-o.

HARRY
Nós todos estamos com fome.

Rony devolve o olhar de Harry, então afasta o olhar. Hermione se aproxima de Rony, examina sua ATADURA RASGADA.

RONY
Não mexe.

Hermione repara no perfil de Rony, então — brevemente — na horcrux balançando em seu pescoço. Ignorando suas palavras, ela começa a remexer em sua bolsa de contas.

RONY
Mamãe podia fazer comida aparecer
do nada.

HERMIONE
(docemente)
Ninguém pode conjurar comida do nada. Comida
é a primeira das cinco Principais Exceções
à Lei de Gamp. As outras quatro são —

RONY
(rudemente)
Será que dá para falar na minha língua?

Enquanto Rony puxa seu braço machucado para longe dela, Hermione eleva os olhos, encontra o olhar áspero de Rony.

RONY
Eu disse para não mexer.

Hermione olha a atadura em sua mão e a guarda.

HARRY
Vai escurecer logo, precisamos
arrumar um lugar para dormir.

HERMIONE
Bom plano.

RONY
É. Brilhante. Só que, corrija-me
se estiver errado… esse não foi
o plano de ontem? E do dia antes
desse? E do dia antes daquele?
Andar. Dormir. Andar. Dormir.

Harry encara Rony, então começa a andar em sua direção. Hermione observa em silêncio. Rony continua completamente imóvel. Quando Harry pára, ele simplesmente acena para o pescoço de Rony.

HARRY
Minha vez.

Quando ele estende a mão, Rony a bloqueia. Por um momento, eles simplesmente ficam em silêncio. Então Rony solta a corrente de seu pescoço, entrega-a para Harry e passa direto por ele. Harry olha de relance para Hermione, passa a horcrux por sua cabeça e segue o amigo. Hermione observa os dois irem e depois faz o mesmo.

107. EXT. ACAMPAMENTO (TORRES DE REFRIGERAÇÃO) – FIM DE TARDE

Uma leve CHUVA cai. Harry, usando o medalhão agora, anda pelo perímetro do acampamento. Ele encara a barraca com raiva, à distância.

Na barraca, a salvo, aquecidos e longe do alcance de seus ouvidos, Hermione cuida do braço de Rony enquanto ele encara Harry.

RONY
Ele não sabe o que está fazendo, sabe?

Hermione franze a testa e estuda Rony, então olha de relance para Harry, traços de dúvida em seus olhos.

HERMIONE
Nenhum de nós sabe.

107A. EXT. VALE – DIA

Três vultos se movem por uma paisagem de outono vermelho-sangue.

107B. PARQUE DE CARAVANA ABANDONADO – DIA

As carrocerias carbonizadas de vários trailers — massas negras e disformes — estão espalhadas pelo parque coberto de cinzas. Rony, seguido por Harry e Hermione, pausa. Seus olhos analisam a terra queimada, fixam-se em um BALANÇO ENEGRECIDO, balançando para frente e para trás em um pequeno playground. Seus olhos mudam para o solo e ele se agacha. Seus dedos esfregam a terra seca, revelando um BRINQUEDO BRILHANTE não produzido por trouxas.

RONY
Bruxos estiveram aqui.

HERMIONE
Não gosto deste lugar.

Harry e Rony se viram e olham para ela.

HERMIONE
Quero ir embora.

108. EXT. CLAREIRA – DIA

O ROSTO DE RONY OCUPA A TELA — sujo e selvagem. Ele olha para algo NÃO VISÍVEL. Então…

… um COELHO salta EM CENA, cheirando alguns arbustos. Lentamente, Rony levanta sua varinha, em posição de atirar quando…

BAM! Sujeira explode perto do rabo do coelho e ele está longe e fugindo. Segundos depois Harry aparece, e parte em perseguição. Rony xinga e corre atrás.

O coelho foge em zigue-zague pelas árvores, desviando de rajada atrás de rajada enquanto Harry e Rony mergulham na floresta. Eles começam a rir, sua mira se tornando cada vez mais irregular. Um galho explode acima da cabeça de Harry e ele se vira, disparando de brincadeira contra Rony. Eles trocam mais algumas rajadas quando uma quase atinge Harry. Instintivamente, olhos faiscando, ele se vira, dispara de volta e erra Rony por pouco.

Ambos param, se encaram, peitos subindo e descendo e a respiração ofegante, os sorrisos se foram. Rony esfrega seu braço machucado, quase curado agora, e vai embora.

109. INT. BARRACA – MESMA HORA – DESTAQUE NUMA PANELA CHIANDO – FIM DE TARDE

… DE COGUMELOS.

Nas sombras, Rony está deitado de costas, encarando melancolicamente o teto armado da barraca, ouvindo o RUÍDO DO RÁDIO, enquanto Hermione, USANDO UM CACHECOL VERMELHO POR CAUSA DO FRIO, corre os dedos de sua mão esquerda pelos cabelos de Harry, alternando o uso da varinha em sua mão direita para aparar o cabelo do garoto e virar as páginas de História da Magia.

HERMIONE
Meu Deus…

HARRY
(alarmado)
O que foi?

HERMIONE
Eu já te digo.

Harry observa seu cabelo caindo no chão.

HARRY
Talvez você possa me dizer agora.

HERMIONE
Tudo bem. A espada de Gryffindor? Foi
fabricada por duendes.

HARRY
Brilhante.

HERMIONE
Você não entende. Sujeira e ferrugem não
afetam a lâmina. Ela só absorve aquilo
que a fortalece.

HARRY
Hãn, certo.

HERMIONE
Harry, você já destruiu uma horcrux, certo?
O diário de Tom Riddle — na Câmara Secreta.

HARRY
Com uma presa de basilisco. Se você
me disser que tem uma nessa sua
maldita bolsinha de contas…

HERMIONE
Você não entendeu! Na Câmara Secreta,
você apunhalou o basilisco com a espada
da Grifinória.
Sua lâmina está impregnada com
veneno de basilisco.

HARRY
Ela só absorve aquilo que a fortalece…

HERMIONE
Exatamente! O que significa…

HARRY
… que pode destruir horcruxes!

HERMIONE
E foi por isso que Dumbledore a deixou para
você em seu testamento.

HARRY
Você é brilhante, Hermione. Sério.

HERMIONE
Na verdade, eu sou altamente lógica, o que me
permite enxergar além de detalhes alheios
e perceber claramente aquilo que outros
deixam passar.

HARRY
Só há um problema…

De repente, AS LUZES SE APAGAM…

RONY
A espada foi roubada.

As luzes SE ACENDEM novamente. Hermione e Harry se viram, vêem Rony, desiluminador em mãos, deitado nas sombras de seu beliche, encarando o teto enquanto as PRIMEIRAS GOTAS DE CHUVA caem na lona acima.

RONY
Sim, eu ainda estou aqui. Mas vocês podem
continuar. Não me deixem estragar sua diversão.

Harry olha de relance para Hermione, que observa Rony cautelosamente.

HARRY
Qual é o problema?

RONY
Problema? Não há problema nenhum. Não de
acordo com você, em todo caso.

Pesadas GOTAS de chuva começam a CAIR na lona da barraca. Plunk. Plunk. Plunk.

HARRY
Ora, não seja tímido. Se tem algo a
dizer, desembuche.

Rony se lança pra fora do beliche. Quando seu rosto encontra a luz, ele parece vil, a corrente do medalhão brilhando.

RONY
Certo, vou desembuchar. Não espere que eu
pule de alegria porque agora temos mais uma
porcaria de coisa pra encontrar.

HERMIONE
(falando baixo)
Rony…

HARRY
Achei que você soubesse no que estava se metendo.

RONY
É, eu também achei.

HARRY
Eu não entendo. Que parte disso não está
correspondendo às suas expectativas?
Você achou que ficaríamos em hotéis cinco
estrelas? Encontrando uma horcrux dia sim,
dia não? Achou que estaria de volta para a
mamãe no Natal?

RONY
Não, eu só imaginei que, depois de todo
esse tempo, nós teríamos conseguido algo.
Pensei que você soubesse o que estava
fazendo. Pensei que Dumbledore tivesse
te contado algo que valesse a pena! Eu
achava que você tinha um plano!

HARRY
Eu contei para vocês tudo que Dumbledore
contou para mim! E caso não tenha notado,
nós encontramos uma horcrux!

RONY
É, e estamos tão próximos de destruí-la quanto
de encontrar o resto delas, não é mesmo!

HERMIONE
Tire isso, Rony. Por favor, tire isso.
Você não estaria falando assim se
não estivesse usando-a o dia inteiro —

HARRY
Estaria, sim. Você acha que eu não
vi vocês dois cochichando pelas
minhas costas? Acha que eu não
imaginei o que estavam pensando?

HERMIONE
Harry, nós não estávamos —

RONY
Não minta! Você disse também, disse
que estava desapontada —

HERMIONE
Eu não disse! Não desse jeito! Harry
— eu não disse!

RONY
Sabe por que eu ouço aquele rádio toda
noite? Sabe! Para ter certeza de que eu
não ouço o nome da Gina, ou do Fred
ou do Jorge ou da mamãe ou —

HARRY
Você acha que eu também não ouço! Acha
que eu não sei como é —

RONY
NÃO! VOCÊ NÃO SABE COMO É! SEUS PAIS
ESTÃO MORTOS! VOCÊ NÃO TEM FAMÍLIA!

Silêncio mortal. Harry contempla Rony. Hermione parece chocada. Repentinamente, os dois se lançam à frente e agarram a garganta um do outro. Hermione intervém.

HERMIONE
Parem! Parem!

Eles se soltam, se afastam. Harry aponta para o pescoço de Rony.

HARRY
Vá, então, mas deixe o medalhão.

Hermione, com um olhar de pânico, olha de relance de Harry para Rony. Rony arranca a corrente de seu pescoço e a atira para o lado, se vira para Hermione.

RONY
E você?

HERMIONE
Eu?

RONY
Você fica? Ou vai?

Hermione parece agoniada, olhando de um para o outro. A chuva corre na lona por trás dela.

RONY
Tudo bem. Eu entendo. Eu vi vocês dois
na outra noite. É, é isso aí. Pensaram que
eu não sabia, não é mesmo?

HERMIONE
O quê? Rony, não — por favor —

Ele empurra a aba da barraca para o lado e a CHUVA TROVEJA. Assim que Hermione corre atrás dele, ela esbarra no rádio e o derruba. Enquanto ele SILVA, Harry olha zangado para a horcrux. Segundos depois, Hermione retorna, o cabelo encharcado colado em seu rosto.

HERMIONE
Ele se foi.

110. EXT. MARGEM DO RIO – MANHÃ

O rio flui silenciosamente, denso e enlameado da chuva da noite anterior. Harry emerge da barraca, espia por entre as árvores. Hermione se encontra bem mais abaixo, próxima ao rio, amarrando o cachecol vermelho em uma árvore.

111. EXT. MARGEM DO RIO – FIM DA MANHÃ

Hermione, olhos vermelhos de tanto chorar, agarra a bolsa de contas com uma mão enquanto o medalhão balança-se na outra. Ela espia as árvores uma última vez, então, sem se virar, estica o braço. Harry a observa, então se aproxima, gentilmente envolve os dedos dela nos seus. Instantaneamente…

… eles desaparatam, presos num turbilhão negro. Quando reaparecem…

112. EXT. ENCOSTA – FIM DA MANHÃ

… numa colina varrida pelo vento, eles soltam as mãos e Hermione cambaleia para longe, soluços fazendo seu corpo tremer enquanto ela enterra o rosto nas mãos. Harry a observa, então se vira, pega sua varinha e começa a andar num círculo, lançando encantamentos em uma voz suave.

HARRY
Salvio Hexia… Protego Totalum…

113. EXT. ENCOSTA – ANOITECER

Harry caminha pelo perímetro do acampamento, olhando para cima de vez em quando para observar a BARRACA ILUMINADA.

Ele observa a SOMBRA DE HERMIONE passar, deslizando pela lona. Segundos depois, o RÁDIO CREPITA ligado. Ele balança a cabeça, vagamente irritado, então começa a se mover novamente até que uma MÚSICA se torna CLARA. Ele pára.

114. INT. BARRACA – ANOITECER (SEGUNDOS DEPOIS)

Quando Harry se abaixa para entrar na barraca, Hermione eleva o olhar.

HERMIONE
É uma rádio trouxa.

Os dois sorriem. Harry escuta e então, em dúvida, estica seu braço. Hermione o encara incerta, então permite que ele a levante. Ele se aproxima, gentilmente retira o medalhão do pescoço dela e o atira no chão. Ela olha para a horcrux e depois de volta para ele. Ele sorri e, sem demora…

… eles começam a dançar, de maneira um pouco forçada no começo, mas depois se deixam levar.

115. EXT. BARRACA – MESMA HORA – ANOITECER

Suas sombras tremulam pela lona como sombras alegres de fantoches, se movendo abandonadas até que, abruptamente, o sinal se perde e…

116. INT. BARRACA – MESMA HORA – ANOITECER

… a ESTÁTICA retorna. Seus sorrisos desaparecem. Eles param de se mexer. Hermione desvia o olhar, sai. Harry a observa ir, então cata o medalhão do chão, prende-o em seu pescoço.

117. EXT. ENCOSTA – DIA

Hermione, enrolada em um cobertor, está sentada bem do lado de fora da barraca, próxima a uma fogueira varrida pelo vento, alternando entre Os Contos de Beedle, o Bardo e outro livro, o Silabário de Spellman.